TUBOS TERMOPLÁSTICOS REFORÇADOS (RTP) FLEXÍVEIS

PARA QUE SERVEM E QUAL A SUA HISTÓRIA?

Os tubos termoplásticos reforçados (em inglês, Reinforced Thermoplastic Pipes, ou RTP) formam uma nova geração de tubos para aplicações de alta pressão nas mais diversas indústrias. Também chamados atualmente de tubos compósitos flexíveis (em inglês, Flexible Composite Pipes, ou FCP), eles são fornecidos em rolos de longos comprimentos contínuos, reduzindo a quantidade de emendas e de conexões necessárias, e resultando em menores tempo de instalação e custos de mão-de-obra e de maquinário.

Visando expandir o atendimento também a clientes cujas pressões de processo estão acima do que a tubulação termoplástica tradicional é capaz de transportar, a Policon trouxe ao Brasil os tubos SoluForce, cuja empresa mãe, a Pipelife Nederland, foi a responsável por desenvolver no final dos 1990 os tubos RTP de longos comprimentos (Long Length Reinforced Thermoplastic Pipes, LLRTP), em conjunto com empresas usuárias da área do Óleo & Gás.

Hoje em dia, após mais de 20 anos comercializando e promovendo melhorias nas tubulações fabricadas, a SoluForce conta uma gama de soluções que atendem, da melhor maneira disponível no mercado, aplicações na indústria do petróleo (onshore & offshore), especialmente no transporte de gases com a versão GT (Gas Tight), e na indústria do hidrogênio, especialmente a do hidrogênio verde, com a versão H2T (Hydrogen Tight), sendo que tanto a GT quanto a H2T garantem estanqueidade absoluta no transporte dos gases.

CURIOSIDADE SOBRE AS NOMENCLATURAS

Sabendo da variedade de nomes pelos quais essas tubulações costumam ser referidas, vamos tentar esclarecer algumas razões dessas nomenclaturas e citar outros nomes comuns.

Os tubos termoplásticos reforçados foram fabricados pela primeira no ano de 1998 pela Pipelife. Eles foram desenvolvidos a partir dos tubos termoplásticos flexíveis que já eram produzidos pela Pipelife desde os anos 1960. Visando garantir a capacidade de resistir altas pressões, foi adicionada uma camada de reforço aos tubos termoplásticos flexíveis tradicionais, sendo essa a razão para a nomenclatura tubos termoplásticos reforçados (RTP).

Devido às vantagens dos tubos reforçados termoplásticos, mais e mais empresas da indústria do Óleo & Gás começaram a buscá-los como alternativa para substituir as tubulações de aço que estavam em uso. Isso fez com que muitas empresas mais passassem a fabricar esse tipo de solução e, por consequência, diversas formas de reforçar os tubos passaram a existir.Por esse motivo, portanto, as principais associações da indústria de tubos decidiram mudar a forma de nomear as tubulações reforçadas, criando um termo mais geral chamado Tubo Compósito Flexível (FCP), no ano de 2010.

Entretanto, ainda há diversas formas muito comuns de nomenclatura no mercado, utilizadas tanto por fabricantes quanto por clientes, dentre elas: “Tubulação Flexível”; Tubulação Reforçada em Bobinas”; Tubo Reforçado Flexível”; “Compósitos Flexíveis”; “Flexíveis para Offshore”; “Risers Flexíveis; “Umbilicais Flexíveis”.

APLICAÇÕES

Apesar de o tubo SoluForce ter sido desenvolvido para uso primário na indústria do Óleo & Gás, sua versatilidade fez com que ele venha sendo utilizado em outras aplicações no decorrer dos anos, dentre as quais: distribuição de gás residencial; linha de água; mineração; CO2 e hidrogênio.

PROPRIEDADES DO SOLUFORCE

Os tubos reforçados normalmente são compostos por diversas camadas. No caso do SoluForce são construídos com 3 camadas: uma camada interna, feita de PEAD (polietileno de alta densidade); uma camada de reforço intermediária; e uma camada também PEAD externa. No caso das versões para gases (GT e H2T), há uma quarta camada, feita de alumínio, entre a camada de PEAD interno e a de reforço.

 

De diferente dos demais RTP do mercado, o SoluForce tem a característica de que todas as camadas são “coladas” umas nas outras. Isso faz com a capacidade mecânica do SoluForce seja superior aos demais tubos RTP do mercado.

 

Complementarmente, todo o sistema do SoluForce pode ser montado sem partes metálicas, garantindo uma excelente solução para processos corrosivos, sendo uma alternativa bastante interessante a tubulações metálicas de aço e a outras tubulações de RTP.

 

Abaixo, mostramos uma visualização com as camadas do SoluForce.

TUBULAÇÃO (ESTANQUE) PARA HIDROGÊNIO - SOLUFORCE HYDROGEN TIGHT (H2T)

Visando se adequar aos novos tempos, que pedem tecnologias que geram cada vez menos impactos ambientais, a Policon traz ao Brasil, através da parceria com a SoluForce, um sistema de tubulação desenvolvido especialmente para essa fase de busca pela escala comercial do hidrogênio verde.

A versão H2T dos tubos termoplásticos reforçados SoluForce mantém a característica de ser flexível e fornecida em bobinas, e foi desenvolvida para resistir ao transporte de hidrogênio até a pressão de 42 bar, sendo uma alternativa de bastante impacto na busca pela viabilidade de negócios do hidrogênio verde.

VANTAGENS NA APLICAÇÃO COM HIDROGÊNIO

-Certificados para aplicações de até 42 bar, com uma temperatura máxima de 65 °C;

-Desenvolvido a partir de tecnologias já conhecidas e comprovadas com o uso por mais de 20 anos;

-Único RTP/FCP comprovadamente disponível para o uso com hidrogênio;

-Não sofre com a permeabilidade do sistema;

-Flexível e reutilizável;

-Conexões não-metálicas (livres de corrosão);

-Fácil e rápida instalação;

-Em relação ao aço especificamente: não sofre com a fragilização (por hidrogênio).

A camada de alumínio, exclusiva dos RTP SoluForce, garante zero permeabilidade do sistema na versão H2T. Isso elimina riscos de saúde dos colaboradores, de segurança da operação e ambientais. A camada de reforço da versão padrão H2T é feita de fibra de aramida, e as camadas internas e externa são feitas de PEAD.

 

Como a tubulação não necessita de tratamento (como as metálicas, por exemplo), o custo de instalação e manutenção são bem menores do que os dos concorrentes metálicos.

 

Sendo a versão H2T certificada para operar até 42 bar de pressão de trabalho, o SoluForce H2T é ideal para trabalhar conjuntamente com os eletrolisadores, que usualmente trabalham com 30 bar de pressão máxima.

TUBULAÇÃO (ESTANQUE) PARA HIDROGÊNIO - SOLUFORCE HYDROGEN TIGHT (H2T)

Tendo sido originalmente desenvolvido para o uso no Óleo & Gás, com a participação ativa de então potenciais clientes do setor, o tubo SoluForce foi o primeiro tubo compósito flexível (Flexible Composite Pipe, FCP) desenvolvido.

 

Tendo hoje em dia 3 tipos principais e versões para configurações específicas, os tubos termoplásticos reforçados (Reinforced Thermoplastic Pipes, RTP) da SoluForce, atendem uma ampla gama de pressões (até 450 bar) e temperaturas (até 105 °C), e garantem estanqueidade tanto em aplicações com líquidos quanto com gases.

 

Desde aplicações onshore, até certas aplicações offshore, o tubo SoluForce tem sido desde o início dos anos 2000 a solução de empresas cujas produtividades operacionais precisavam ser melhoradas.

 

Com rápida instalação, inclusive com a disponibilidade de destaque de uma equipe da fábrica para acompanhamento e treinamento dos usuários e mantenedores, os custos totais de propriedade dos tubos SF são consideravelmente menores se comparados aos de outros tubos comuns utilizados no setor do O&G.

PRINCIPAIS APLICAÇÕES NO ÓLEO & GÁS

-Tubulações de injeção de água a altas pressões;

-Transporte e distribuição de água;

-Descarte de águas efluentes;

-Linhas de superfície temporárias;

-Fluxo de óleo e gás;

-Fluidos multifásicos;

-Intervenções em poços.

Procure a Policon caso queira entender mais da tecnologia e, quem sabe, incrementar os desempenhos da sua organização.